• Ceclin
fev 23, 2016 0 Comentário


Com duas categorias em greve, Goiana vive caos nunca enfrentado pela população

Professores e enfermeiros em greve

 Professores de Goiana entram em estado de greve

A paciência dos professores da rede municipal de ensino de Goiana, na Mata Norte, com a atual administração parece estar chegando ao fim. Após negociarem sem sucesso o pagamento do piso nacional e outros direitos da categoria com a Prefeitura durante meses, o Sindicato dos Professores Municipais de Goiana (Sinpromg), na última segunda-feira (22), anunciou que a categoria está em estado de greve.

O Blog do Felipe Andrade conversou com o presidente do Sinpromg, Manoel Messias, que explicou a situação. “Não é apenas o piso nacional que está em discussão. Existem uma série de outros direitos que a categoria está reivindicando. Neste momento, entramos em estado de greve. Mas, isso não quer dizer que estamos em greve. É diferente”, ressaltou. O estado de greve é uma situação que é aprovada pelos trabalhadores, alertando aos governantes que a qualquer momento poderão deflagrar uma greve.

Os técnicos de enfermagem do Hospital Belarmino Correia, em Goiana, entraram em greve nessa segunda-feira (22). Os profissionais reclamam que estão há quatro meses sem receber salários. O Blog do Felipe Andrade, a GoianaTV e a Rádio Nova FM (98.5) estiveram no hospital para cobrir uma manifestação promovida por funcionários insatisfeitos com os seguidos atrasos salariais e, também, com a precária estrutura para atender a população. Além do atraso salarial, os funcionários denunciaram a superlotação do hospital e o número reduzido de profissionais para atender os pacientes. Alguns ainda criticaram a Prefeitura de Goiana, uma vez que a rede de PSFs do município não estaria atendendo casos que poderiam aliviar a superlotação do Belarmino Correia. “Muitos pacientes poderiam ser atendidos nos PSFs. Mas, quando chegam no PSF mandam para o Belarmino Correia”, relatou o técnico de enfermagem Alex Maia.

Caos e greve no Hospital Belarmino Correia, em Goiana

Alguns usuários do hospital culpam a Prefeitura de Goiana e o governo estadual pelo caos na saúde do município. “Goiana se encontra em uma situação de calamidade. O prefeito abandonou realmente a população. Se o prefeito fizesse a obrigação dele como governante, atendesse a população nos PSFs, o hospital não estaria cheio”, disse Lenildo, morador do bairro da Bela Vista, que também não poupou críticas ao governo do Estado. “O governo (estadual) também não está fazendo a parte dele. A pessoa trabalha o mês todo e quer ter o seu pão na mesa. Então, esses funcionários do hospital são guerreiros”, ressaltou. Apesar da situação ser dramática, a direção do hospital garante que está e continuará atendendo todas as pessoas que buscam auxílio médico.

com Informações do Blog do Felipe Andrade e  Giro Mata Norte