• Ceclin
set 17, 2018 0 Comentário


Canavieiros da Vitória de Santo Antão buscam assegurar valorização do Piso

Sob o lema da campanha, “Fortalecer a Organização Sindical, Resistir e Ampliar Direitos”, os trabalhadores estão mobilizados dizendo que não aceitam retrocessos. Foto: A Voz da Vitória

Sob o lema da campanha, “Fortalecer a Organização Sindical, Resistir e Ampliar Direitos”, os trabalhadores estão mobilizados dizendo que não aceitam retrocessos. Foto: A Voz da Vitória

por Lissandro Nascimento

Trabalhadores assalariados da área rural da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, se reuniram na manhã do ultimo domingo (16/9), na assembleia geral extraordinária para análise e aprovação da pauta de reivindicações da 39ª Campanha Salarial dos Canavieiros e das Canavieiras, que foi construída durante o 25º Congresso de Delegados e Delegadas Sindicais da Zona da Mata, em agosto. A pauta foi puxada pelo Sindicato de Trabalhadores/as Assalariados/as de Vitória (STTAR), situado no Centro da cidade.

As assembleias, em cada município, são um importante espaço para o fortalecimento da categoria e luta para continuidade de direitos já garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho.

José Gomes da Silva, presidente do STR Vitória PESob o lema da campanha, “Fortalecer a Organização Sindical, Resistir e Ampliar Direitos”, os trabalhadores estão mobilizados dizendo que não aceitam retrocessos. Na pauta aprovada pela classe trabalhadora, estão as reivindicações de salário maior que o mínimo, de R$ 1.150, o piso de garantia e a cesta básica de R$ 100, cada; combate ao uso de agrotóxicos, ampliação do número de mulheres contratadas, entre outros pontos, alimentação digna no local de trabalho, entre outras reivindicações.

“Discutimos a pauta de reivindicações e também o cenário político do País, além do impacto das medidas que atingem a todos os trabalhadores e trabalhadoras”, explica José Gomes da Silva, presidente do Sindicato em Vitória. O sindicalista alertou que o valor do Piso é baixo e a categoria pretende cobrar o aumento de R$ 16,00 para R$ 100,00 acima do salário mínimo vigente. “Por conta da baixa valorização do salário mínimo nos últimos anos, a categoria optou em defender valores ao invés de percentuais de aumento. O Piso do trabalhador rural assalariado no valor proposto vai ajudar a melhorar o poder de compra da população rural. Esperamos que possamos ter bons resultados no acordo coletivo”, externou José Gomes.

Com a pauta de reivindicações aprovada, os STTARs encaminharão, junto a FETAEPE, a notificação a classe patronal, para a garantia da data-base, no dia 1º de outubro. A perspectiva é que no próximo dia 27 de setembro haja uma primeira reunião junto à Superintendência Regional do Trabalho (SRT-PE) para a garantia da data-base, no dia 1º de outubro.

LEIA TAMBÉM:

João Santos pretende requalificar o Programa Chapéu de Palha

Vitória de Santo Antão acolhe João Santos como candidato estadual