• Ceclin
mar 02, 2018 0 Comentário


Câmara de Limoeiro rejeita parcelar dívida e abre CPI para investigar fundo previdenciário

Para que o parcelamento fosse aprovado seria necessário que a situação tivesse. Foto:

Para que o parcelamento fosse aprovado seria necessário maioria absoluta dos parlamentares da Casa. Foto: Alfredo Neto

com informaçoes do Blog Coisas da Vida

O dia de hoje (02/03) ocorreu a votação do Projeto de Lei nº 01/2018, do Executivo que autoriza o parcelamento da dívida do Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Limoeiro (LimoPrev), durante a tarde na Câmara Municipal que ficou lotada por populares. A dívida é calculada acima dos R$ 6 milhões, segundo a Secretaria Municipal de Demandas Especias. A votação final não foi favorável ao parcelamento e culminou em uma derrota para a Prefeitura, deixando de certo modo a oposição satisfeita, a qual articulou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que terá sua primeira reunião na próxima semana, a fim de investigar o fundo previdenciário.

O Ministério da Previdência Social estabeleceu 5 de março como data limite para que os municípios parcelem os débitos previdenciários. A votação ficou assim: Pela Situação votaram a favor do parcelamento – Batalha dos Mendes, Irmão Jairo, Marquinho Paz, Beto de Washington, Bau da Capoeira, Zélia de Ribeiro do Mel, Zózimo e Ronaldo Só Zoeira, o que totalizou oito votos a favor – ; já pela bancada da oposição votaram contra a aprovação os vereadores Marco Sérgio, Daniel do Mercadinho, Luiz Antônio, Robertinho Galvão, Zé Higino e Cíciu.

Para que o parcelamento fosse aprovado seria necessário que a situação tivesse 10 votos a favor, mas houve chances e isso fez com que o projeto fosse colocado em modo de espera e assim que a investigação da CPI terminar o mesmo retorna para nova votação, restando para a atual gestão rever seus gastos prioritários e tentar diminuir as despesas da máquina publica, administrada pelo prefeito João Luiz (PSB), que se encontra em viagem internacional.

CPI LIMOPREV

A Câmara de Limoeiro deu andamento e já foi escolhido o presidente, vice, relator e os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar o fundo previdenciário. Para o cargo de presidente da Comissão quem assumiu foi Zé Higino, já o vice, ficou a cargo de Daniel do Mercadinho. Para relator o nome escolhido foi o de Marcos Sérgio, que por sinal fui um dos vereadores que mais pediram pela instalação da CPI. Os demais membros da CPI ficaram Ronaldo Morais e Batalhas dos Mendes.

Os trabalhos devem iniciar semana que vem.  A CPI do LimoPrev quer identificar os responsáveis pelo mau gerenciamento dos recursos reservados ao pagamento dos aposentados da Prefeitura local. Estipula-se o prazo de 90 dias para que documentos, contas bancárias e outras ações dos investigados sejam levantados.