• Ceclin
mar 15, 2018 0 Comentário


Câmara de Chã Grande aprovou as contas de 2010 do prefeito Diogo Alexandre

Câmara de Chã Grande fecha um ciclo de três contas do  atual prefeito Diogo Alexandre, referentes a gestões anteriores,  aprovadas. Foto: Divulgaçao

Câmara de Chã Grande fecha um ciclo de três contas do atual prefeito Diogo Alexandre, referentes a gestões anteriores, aprovadas. Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de Chã Grande aprovou na noite dessa quarta-feira (14/03), as contas do exercício financeiro de 2010 do atual prefeito Diogo Alexandre (PR). Todos os nove vereadores presentes na sessão votaram favoráveis. Apenas Danielle Alves (PDT) e Sérgio do Sindicato (SD) não participaram da sessão que foi presidida pelo vereador Jorge Luís (PR).

A sessão iniciou com a leitura dos pareceres, ofícios e decisões referentes às contas do exercício de 2010, na segunda gestão do prefeito Diogo Alexandre. A leitura ficou a cargo do advogado da Câmara Municipal, Willian Wagner. Após a explanação, o presidente Jorge Luís seguiu para a votação, que ocorreu de forma nominal, por ordem
alfabética. O parecer do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE) indicava pela aprovação das contas.

Com o resultado, a Câmara de Chã Grande fecha um ciclo de três contas do atual prefeito Diogo Alexandre referentes a gestões anteriores, aprovadas. Além de 2010, foram analisadas também as de 2007 e 2008, que tinham sido arquivadas em outras legislaturas. A nova apreciação das contas foi possível através de uma iniciativa do presidente Jorge Luís, que em 2017 apresentou a proposta de anulação das decisões anteriores. A proposta, através de Decreto Legislativo, foi aprovada na Casa Paulo Viana de Queiroz, o que submeteu as contas a um novo processo de análise. Isso permitiu, segundo o vereador, uma maior transparência nos trabalhos do legislativo municipal.

“A transparência tem que ser sempre constante, pois é através dela que as pessoas vão ter conhecimento de como é dirigido o Município, como é dirigido esta Casa”, disse Jorge Luís. “A gente procura sempre expor à sociedade”, assegurou.