• Ceclin
mar 23, 2016 0 Comentário


Apac prevê grave seca em todo Estado de PE

previsao

 

Pernambuco deverá sofrer com uma grave seca nos próximos três meses, de abril a junho, deste ano. O clima  vai castigar a Zona da Mata e a Região Metropolitana do Recife. Tudo indica, no entanto, que o quadro poderá ter uma melhora no fim de julho. O fenômeno El Niño é um dos motivos para a redução das chuvas. “Para complicar, o Oceano Atlântico Sul está esfriando. Isso quer dizer que teremos menos evaporação, menos núvens e menos chuvas na nossa região”, adiantou o gerente de meteorologia da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), Patrice Oliveira. Os dados foram divulgados durante um encontro de meteorologistas na sede da Apac.

Com previsão de poucas chuvas no estado, as temperaturas também deverão se elevar, sobretudo, no período da tarde no Sertão e Agreste. No entanto, a Apac alerta para a possibilidade de precipitações, de moderadas a fortes, concentradas em poucas horas, principalmente no Litoral e na Zona da Mata. A climatologia das chuvas no Sertão será de 290,1 milímetros no trimestre. Já no Sertão do São Francisco, é esperado um índice de 249 milímetros nesse período. O Agreste terá uma média de 302,5 milímetros e a Zona da Mata, de 593,1 milímetros.

Na Região Metropolitana do Recife, as chuvas poderão ultrapassar os 830,3 milímetros.Por causa da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), abril será o mês com o maior volume de chuva no Sertão do Pajeú e no Sertão do Araripe.

Reservatórios

Desde que começou a ser acompanhada, em 2000, a barragem de Jucazinho, no Agreste, opera com o nível mais baixo. Com 1,3% e atuando com seu nível morto, é necessário que chova significamente para que ela saia do estado de alerta. No entanto, parece que não será desta vez que a situação será resolvida.  “Para a barragem ‘pegar’ água, é preciso que chova na sua bacia hidrográfica. A previsão é que teremos pouca chuva nessa região”, comenta Oliveira.

G1/PE