• Ceclin
dez 12, 2017 0 Comentário


Alepe homenageia Instituto Histórico de Vitória durante celebração dos 200 anos da Revolução de 1817

Homenagem Alepe ao Inst Hist Vitoria

Pessoas e instituições que contribuíram para a preservação da cultura e da história pernambucanas receberam a Medalha Comemorativa do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817, na noite dessa segunda (11/12). O prêmio, instituído pela Assembleia Legislativa para marcar os 200 anos do movimento revolucionário que tomou o poder no Estado no dia 6 de março de 1817, foi entregue a 23 agraciados, em Reunião Solene no Plenário da Alepe. A Resolução de nº 1309/2015, que criou a comenda, foi proposta por Tony Gel (PMDB).

Os homenageados – indicados por parlamentares – receberam, cada um, medalha, diploma e exemplar do livro História da Revolução Pernambucana de 1817, editado pela Cepe, de autoria de Francisco Muniz Tavares, que foi presidente da Assembleia Provincial. A primeira edição da obra data de 1840.

12.11-17 Premio Alepe do Inst. Historico Vitoria

HONRARIA – Museu de Vitória foi um dos agraciados. Foto: Sabrina Nóbrega/Alepe

O Instituto Histórico de Vitória entrou na lista dos homenageados por indicação do deputado estadual Joaquim Lira (PSD). O vice-presidente da instituição, professor Hiram Gomes, esteve com comitiva representando o museu que congrega a memória do povo de Vitória de Santo Antão. Precisamente nove instituições receberam o prêmio foram a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Arquivo Público Estadual, o Instituto Histórico e Geográfico da Vitória de Santo Antão, o Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), a Rede Globo Nordeste, a Fundação Gilberto Freyre, o Instituto Histórico de Caruaru (IHC), a Fundação Hemope e a Sociedade 21 de Setembro, de Petrolina.

Além do governador Paulo Câmara (PSB), as pessoas agraciadas com a comenda foram: o prefeito de Paulista, Gilberto Gonçalves Feitosa Junior (Junior Matuto); o ex-prefeito de Olinda e fundador do Movimento de Cultura Popular (MPC), Germano Coelho (representado pela neta, Fernanda Coelho); o desembargador Leopoldo Raposo, presidente do Tribunal de Justiça de Pernambuco; o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido; o historiador Leonardo Dantas Silva; a pesquisadora cultural Tercina Lustosa Bezerra;  a superintendente de Preservação do Patrimônio Histórico da Alepe, Cynthia Barreto; o produtor cultural e ex-secretário municipal de Cultura do Recife Roberto Peixe; a delegada da Polícia Civil Gleide Ângelo; o médico e professor Gilliatt Falbo; e os empresários Paulo Perez Machado (Platinum Trading), Janguiê Diniz (Grupo Ser Educacional), que não pôde comparecer; Eduardo de Queiroz Monteiro (Grupo EQM); e Geralda Farias (idealizadora da Fenearte).