• Ceclin
out 10, 2018 0 Comentário


Adolescentes da Funase de Vitória de Santo Antão participam de rodas de diálogo sobre identidade de gênero e orientação sexual

A dinâmica é realizada através de uma roda de diálogo. Foto: Divulgação

A dinâmica é realizada através de uma roda de diálogo. Foto: Divulgação

Atividade foi realizada por psicólogo, e contemplou 28 adolescentes com rodas de diálogo sobre orientação sexual e identidade de gênero. 

O Centro de Atendimento Socioeducativo de Vitória de Santo Antão, na Mata Sul pernambucana, recebeu, nessa terça-feira, 09/10, a equipe do Centro Estadual de Combate à Homofobia (CECH), para uma formação com 28 adolescentes atendidos no local. A ação é uma iniciativa do governo de Pernambuco, através da Secretaria Executiva de Direitos Humanos, e o CECH, e já beneficiou seis unidades de acolhimento.

O objetivo é orientar os jovens, que cumprem medida socioeducativa, sobre orientação sexual e o combate à LGBTfobia, a fim de melhorar o convívio dentro das unidades.

Durante a atividade são esclarecidas as principais dúvidas sobre identidade de gênero, orientação sexual, as nomenclaturas LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexo), além do processo de retificação do prenome e sexo no registro civil por pessoas trans e travestis. Para a psicóloga do CECH, Edna Cavalcanti, um dos conceitos importantes que os adolescentes devem aprender é a diferença entre a identidade de gênero e a orientação sexual. “A orientação sexual significa o tipo de relacionamento, com quem a pessoa se relaciona. Já a identidade gênero é como ela ou ele se identifica, como se vê . É aí que entram os homens e as mulheres trans, por exemplo”, explica.

A dinâmica é realizada através de uma roda de diálogo. Para impulsionar o debate, os profissionais utilizam  balões contendo umas figuras e mensagens sobre o tema, para serem discutidos junto aos adolescentes, através das explicações dos profissionais do CECH e a participação e questionamento dos adolescentes. “No início da atividade, eles ficam um pouco resistentes, mas logo em seguida, com o desenrolar dos temas, os adolescentes começam a prestar atenção e a refletir, dando exemplos de questões do dia a dia”, conclui Edna Cavalcanti.

A próxima unidade da Funase beneficiada com a Roda de Diálogo é a do Cabo de Santo Agostinho, nesta quinta-feira, 11.